A DROGA DEVIDA

Revista Nº 18

O ser humano passa grande parte de sua vida oferecendo-se – servidão voluntária – buscando alguém que o reconheça, que tome conta. Quando este ponto de equilíbrio não existe ou mal se equilibra, surge a ocasião para colocar no lugar dele, algo que faça essa função, que dê conta. Pode ser uma droga. Ocorre que a droga não só da conta como pode tomar conta do sujeito em questão, literalmente. Sem intermediação humana, sem troca de palavras, até acabar tanto com a humanidade, quanto com as palavras. Na falta delas ou no vazio produzido pela falta, alguns só conseguem colocar um objeto. E então tudo se fecha.

Ver sumário

Todas Publicações

Conheça as edições de revistas publicadas pela APC

FORMAS, IMPASSES E PASSAGENS

FORMAS, IMPASSES E PASSAGENS

Revista Nº31

Saiba mais...
PASSES E IMPASSES NA FORMAÇÃO ANALITICA

PASSES E IMPASSES NA FORMAÇÃO ANALITICA

Revista Nº30

Saiba mais...
CORPOS

CORPOS

Revista Nº 29

Saiba mais...
A FAMÍLIA CONTEMPORÂNEA

A FAMÍLIA CONTEMPORÂNEA

Revista Nº 28

Saiba mais...
PSICANALISE E LITERATURA

PSICANALISE E LITERATURA

Saiba mais...
TECENDO REDES

TECENDO REDES

Revista Nº 26

Saiba mais...
A DIREÇÃO DA CLINICA

A DIREÇÃO DA CLINICA

Revista Nº 25

Saiba mais...
ABUSOS NA INFÂNCIA

ABUSOS NA INFÂNCIA

Revista Nº 24

Saiba mais...
CRIANÇA DE CADA DIA

CRIANÇA DE CADA DIA

Revista Nº 23

Saiba mais...
AUTISMO

AUTISMO

Revista Nº 22

Saiba mais...
A LOUCURA

A LOUCURA

Revista Nº 21

Saiba mais...
PSICANALISE

PSICANALISE

Revista Nº 20

Saiba mais...
O RELATO DO ATO

O RELATO DO ATO

Revista Nº 19

Saiba mais...
A DROGA DEVIDA

A DROGA DEVIDA

Revista Nº 18

Saiba mais...
ADOLESCENCIA

ADOLESCENCIA

Revista Nº 17

Saiba mais...
O DESEJO

O DESEJO

Revista Nº 16

Saiba mais...